Pinóquio

sexta-feira, maio 30, 2014

Era uma vez carpinteiro chamado Gepeto que criou um boneco de madeira e o tratou como filho, dando-lhe o nome de Pinóquio. Por um milagre, esse boneco ganhou vida.

Pinóquio vivia feliz na casa do seu pai, e tinha como melhor amigo, o Grilo Falante.

Gepeto o amava e queria o melhor para ele, por isso, o colocou na escola.

A caminho do seu primeiro dia de aula, ele conhece novos amigos. Uma Raposa, lhe diz:

“Não acredito que você vai a escola! Meninos espertos preferem aprender na escola da vida! “

O Grilo Falante o alertou: “Vamos Pinóquio. Não se desvie do caminho certo.”

A Raposa o convence a ir a um teatro de marionetes, onde vende Pinóquio ao dono do teatro. O pobre Pinóquio ma sabia que havia sido enganado.

Pinóquio se apresentou e logo depois passou a noite preso, chorando, sentindo saudade do seu pai, do seu lar.

Pinóquio consegue fugir dali e conhece outros amigos, que o chamam para a Ilha da Diversão, onde existe um enorme parque de diversões, muitos doces e onde ninguém precisa estudar.

O Grilo Falante, sempre junto de Pinóquio, não concordou, mas o seguiu. Afinal, era responsável por ele. Ali na Ilha, Pinóquio e seus amigos brincaram e comeram, até ficarem cansados.

pinoquio2_opt

Até que o Grilo o alerta e Pinóquio percebe que está virando um burro, ganhando um rabo e orelhas. Eles saem dali correndo e vão para a praia.

Ali ficaram sabendo que Gepeto sumiu, quando saiu de barco a sua procura.

Bom, o resto da história você já sabe. Pinóquio e o Grilo são engolidos por uma baleia e no estômago desta, encontram Gepeto. Pinóquio, muito arrependido pelo que fez, por ter fugido, pede desculpas, promete ser obediente e nunca mais mentir.

Falando em mentira, lembra o que acontecia com o nariz dele toda vez que ele mentia?

Gepeto diz, que o passado não importa, o que importa é que seu filho está vivo.

Claro que você conhece essa história.

Não se parece com a sua vida?

Não se parece com a nossa vida?

Com um Criador que nos cria e nos dá a vida. Que nos ama e nos trata como filhos. Que nos acomoda confortavelmente em Seus braços, em Sua casa.

Mas o mundo lá fora parece mais interessante. Somos atraídos por falsas promessas, por falsas esperanças. Somos atraídos por “amigos” que nos dizem que temos que aprender as coisas, na escola da vida. Pra que se guardar? Por que não ir em uma festa? Porque não ficar? Transar?

Somos atraídos para a Ilha da Diversão, onde não precisamos ter responsabilidade nenhuma. E acabamos virando marionetes nas mãos dos outros. Nosso nariz pode não crescer, mas nossas mentiras sim.

Mas o pior, é que continuamos mentido para nós mesmos. Já dizia um velho ditado: “o pior cego é aquele que não quer ver”. E nós simplesmente não queremos ver a realidade diante de nós. Não queremos ver no que estamos nos transformando. Não num burro como Pinóquio, mas nos transformamos em algo que não fomos criados para ser. Rebeldes, mentirosos, caluniadores, traidores, pervertidos, egoístas… e segue a lista. Deixamos de prestar atenção ao que o Grilo Falante (Espírito Santo) nos diz e nos atolamos cada vez mais no pecado.

Até que chegamos no fundo do poço. Chegamos no estômago de uma baleia. Tal como Jonas, que foi engolido por um peixe grande, devido à sua desobediência, nós também somos engolidos por nossa desobediência.

E é ali, onde menos esperamos que encontramos Deus. É no fundo do poço que você O encontra, é no fundo do estômago de uma baleia, que você O encontra, é na escuridão.

Não porque Ele foi parar ali, engolido pela baleia como Gepeto. Mas porque Ele vai até você, Ele vai te encontrar, te esperar. E o que Ele faz? Pergunta sobre o que você fez? Não, Ele sabe que você está arrependido. E Seu amor e perdão te purificam. Te restauram.

Ele te leva de volta para casa, para seu lar; de onde você nunca deveria ter saído.

E no fim da história, podemos virar um menino de verdade, como Pinóquio. Porque, certamente receberemos uma nova vida.

Porque um encontro com a Verdade, nos libertá da mentira do pecado. Um encontro com a Verdade, nos liberta de nós mesmos.

“E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.” João 8:32

Com amor
Pati Geiger

Escrito em 30 de abril de 2013.

Leia também:

1 Comentários

Arquivos

Siga!

Subscribe