Vitamina

quarta-feira, maio 14, 2014

A fila do mercado estava longa.
 - Moço!
Olho pra trás, ela mostra uma nota de cinco reais nas mãos.
 - Não caiu do seu bolso? Achei aqui no chão.
 Confiro meu bolso, mas tudo meu está lá.
 - Se não achar dono, tem aquele mendigo lá fora - ela diz.
Viro pra frente e pergunto:
 - Alguém perdeu esses cinco...
Imediatamente o senhor baixo e carrancudo a minha frente estende a mão e pega os cinco reais da mão da moça.
 - Curitiba não é mais a mesma - ele fala, meio grunindo, segurando a nota em frente aos olhos, com um olhar ganancioso de alguém que encontra algo valioso.
 - Eu é que não vou deixar dinheiro cair na mão desses marginais - ele murmura como se fosse uma desculpa, enquanto guarda a nota, que provavelmente não era sua, no bolso.

Pago minhas compras, e quando saio me deparo com o tal mendigo, com roupas velhas e fumando os últimos centímetros de um cigarro. Olha pra mim esperando algo, e eu falo:
 - Opa, quer uma maçã?
 - Preciso de moeda, troco.
 - Não tá com fome? Tenho pão, banana...
 - Agradeço-lhe... - ele fala.
Enquanto ainda estou em dúvidas se isso seria uma resposta positiva ou negativa, ele termina, antes de se virar e ir embora:
 - Mas aproveite a vitamina.

Por Tiago Faucz



Leia também:

0 Comentários

Arquivos

Siga!

Subscribe